Interativo

Mémoire – Conto interativo – Parte 4

Parte 1:  http://migre.me/hK6gi

Parte 2:  http://migre.me/hQpbz

Parte 3: http://migre.me/i1L1x

MÉMOIRE – Conto interativo – Parte 4 (Final)

vlcsnap-2013-10-22-19h13m05s93

Richard cautelosamente abre a porta e espia por uma fresta a imagem do horror: debruçado sobre uma das várias mesas de necrópsia, cada uma delas ocupada por pelo menos um cadáver, está seu amigo Thomas dissecando uma mescla aterradora de carne, sangue e tripas. Suando frio, Richard decide pegar um abridor de cartas que estava no depósito e investir contra o amigo.

O chute de Richard na porta teria provocado um enorme susto em quem fazia uma autópsia com tamanha concentração, mas Thomas nem se mexeu. Tampouco olhou para a porta.

– Até que enfim está de pé, meu amigo….Pena que, com a sua alma ainda.  Achei que tinha errado as doses em seu café – disse Thomas calmamente, com a voz abafada pela máscara cirúrgica – Como foi a sua primeira passagem?

– O que diabos você está falando?! O que você está fazendo com esse monte de corpos, homem?! – gritou Richard, enfurecido.

– Bom… Primeiro nós tentávamos realizar o ritual nas ruas de Whitechapel, mas após nossa quinta vítima percebemos que era mais fácil  trazer todas para esse… lugar. – respondeu Thomas, que continuava dissecando aquela criatura disforme. E continuou após um esguicho de pus atingir seu avental – Até então só falhávamos com as mulheres: Elas não voltavam à vida. Mas oportunidades não faltariam pois ninguém daria falta das prostitutas, então preferi começar com elas meus experim…

Richard interrompeu o lunático erguendo a faca e correndo em sua direção. Ambos lutaram até que a camisa de Richard foi rasgada na região da barriga, revelando que existiam vários pontos, formando um “Y” em seu corpo, como se tivesse passado por uma autópsia. Paralisado pelo horror, pouco reagiu quando Thomas agarrou os pontos e os puxou violentamente,  fazendo com que todos os órgãos abdominais se esparramassem pelo chão.

Richard, agonizando, conseguiu ainda ouvir seu algoz proferir as palavras que o assombrariam no pós vida:

– Prepare-se para essa sua segunda passagem, meu amigo. Pois dessa vez, não será sua alma a habitar seu corpo. Mas a de meu comparsa falecido: Jack.

 

_____________________________________________

Um pouco pela pouca visitação ao blog, bem como a minha atual falta de tempo, fizeram desse mini projeto algo que não vou conseguir replicar mais uma vez, mas obrigado aos 68 que votaram pelo WordPress, Skype, face e twitter. =D

 

 

 

Anúncios

Mémoire – Conto interativo – Parte 3

Parte 1:  http://migre.me/hK6gi

Parte 2:  http://migre.me/hQpbz

Capítulo 3

Image converted using ifftoany

“Richard força o trinco e abre a porta, compreendendo que tratava-se de um depósito de vinhos, móveis e inúmeras outras tralhas. A ausência de janelas manteve o cheiro de mofo, pó e podre estagnados na sala, e tais odores encontraram a liberdade assim que a porta fora aberta, com os insetos rapidamente agitando-se no ar, procurando abrigo da luz que o homem trazia consigo.

Entrou com um lenço ao rosto e conseguiu identificar sobre uma mesa imunda algumas cartas recentes e livros antigos, todos relatando rituais macabros envolvendo a criação de Imbuídos, que seriam cadáveres inteiriços ou até mesmo montados pedaço a pedaço possuídos por uma alma maligna, que permeia os planos obscuros do inferno. Parecia maluco ler aquilo tudo, mas percebeu entre os papéis recentes uma carta com sua própria assinatura, que ratificava a entrega de produtos químicos para a empresa de seu amigo, aquele mesmo que estava brindando no bar em sua última memória. Richard era dono de uma indústria de processamento, que vendia para diversos laboratórios e boticários. Será que seu velho amigo o teria drogado enquanto brindavam e prendido-o ali? Não era possível, pois seu amigo era um comprador frequente e revendia a mercadoria por todos os cantos do mundo. Talvez esta remessa tenha sido desviada. Richard jamais acreditaria que o grande médico Thomas Bridge estivesse envolvido em uma atividade tão grotesca.

Novamente ouviu barulho vindo da porta que trancara: talvez o homem insano que o atacara estivesse tentando quebrar a porta. Richard saiu do depósito e rumou para o corredor. Escutou à porta que não havia investigado e ouviu alguns murmúrios, como se alguém reclamasse de algo.”

O que Richard deve fazer agora?

1 – Chutar a porta e entrar atacando o que estiver em sua frente.

2- Cautelosamente tentar abrir a porta e espiar por uma fresta.

3-Chamar alguém através da porta?

Mémoire – Conto interativo – Parte 2

Parte 1:  http://migre.me/hK6gi

Capítulo 2

Pray for Death

“Richard se apressou em agarrar a cadeira e ficou a espera do moribundo homem abrir a porta. O trinco chacoalhou desorientadamente uma, duas, três vezes, mas a pessoa ficou estática na porta, fazendo alguns grunhidos repugnantes. Diante da cena, Richard larga a cadeira e violentamente chuta a porta que quebra-se contra o homem, fazendo-o cair como se estivesse bêbado. Foi nesse momento que a luz que adentrava o recinto onde acordara era nada mais do que um lampião pendurado na parede, indício de que estava no subsolo de algum lugar. O cheiro do homem estatelado a seus pés era horripilante, e Richard não se ateve em ficar somente olhando, e agrediu o homem mais e mais vezes com a cadeira até deixá-lo aparentemente inconsciente.

Saindo da sala onde acordara havia um corredor para a esquerda, com uma porta à direita no fundo. O teto era muito baixo e as paredes eram de uma alvenaria grotesca bastante antiga, como o porão de uma casa abandonada. Richard pegou um dos pés da cadeira, o mais pontudo, caso precisasse se defender mais uma vez e levou o lampião consigo. Chegou perto da porta no final do corredor e encostou seu ouvido: nenhum ruído. Abriu o trinco lentamente e entrou pela menor fresta que conseguia, sempre observando os arredores. Saiu em outro corredor, tendo à sua direita uma porta identificada com algumas letras de madeira e à esquerda um corredor com uma curva á direita a alguns metros.

Faltavam algumas letras fixadas na porta, mas sobraram em ordem: ” _ EPOS_TO”. Enquanto pensava sobre o que seria aquilo, Richard não percebeu que o homem que achava ter matado estava de pé, atrás dele. Apesar do rosto estourado e com o cérebro e algumas vísceras à mostra, o homem conseguiu atacar ferozmente. Antes que pudesse fazê-lo, foi chutado para o corredor anterior, e a porta foi trancada por Richard sob urros e batidas do outro lado, até que após alguns minutos cessaram.”

O que Richar deve fazer agora?

1 – Entrar na porta.

2- Seguir pelo corredor cuidadosamente até a esquina

3-Tentar conversar com o homem através da porta

Mémoire – Conto interativo – Parte 1

O Conto a seguir para em um momento onde vou deixar três opções para o que pode acontecer. Comentem com a opção desejada e a opção mais votada dará prosseguimento à história.

Deixarei os comentário ocultos para não revelar o próximo capítulo antes da hora. =)

________________________________________________

 Capítulo 1

Imagem

“Richard acordou de súbito, sem reconhecer nada a seu redor. O chão de madeira estalou quando forçou os braços para baixo, erguendo seu corpo em um susto. Estava deitado em uma sala sem janelas, mas a porta em sua frente deixava alguns feixes de luz adentrarem o recinto e revelarem uma estante empoeirada, uma cadeira e um pano encharcado com algum líquido viscoso.

O lugar fedia a mofo e a animal morto. A última lembrança do homem de trinta e quatro anos, nascido em 1860, era a de dividir um conhaque em um  bar de Londres com um velho amigo: um brinde seguido de uma escuridão, e então, esse lugar horrível. Antes de se perguntar sobre a porta estava trancada, uma figura arrasta-se lentamente atrás da porta, onde para e permanece inerte.

Richard ficou de pé com cuidado, e ponderou o que deveria fazer.”

O que Richard deve fazer?

a) Tentar falar com a pessoa do outro lado da porta;

b) Permanecer em silêncio e esperar a reação da pessoa;

c) Pensar agressivamente: pegar a cadeira e esperar a pessoa adentrar a sala para atacá-la.