Ingredientes

Ele trabalhava por vinte e quatro horas seguidas no necrotério do Hospital Santa Ana, em Santos. Folgava dois dias, e gostava de usar esse tempo para cozinhar para a família. Os filhos chegavam perto das dezoito horas e a esposa geralmente às dezenove. Pela manhã ia ao supermercado comprar os temperos e salada para complementar os pratos. Fazia bastante para que a mulher levasse de marmita para o serviço, e sempre cozinhava pratos requintados.

No entanto, enquanto estava no trabalho, esquentava um cup noodles e comia observando os cadáveres, sugando vez ou outra o macarrão que boiava na água quente. Olhou para as coxas de um dos corpos, para a nádega de outro e para o braço gordo de uma senhora. Nenhum fedia, pois eram realmente frescos. Era quase três da manhã e estava praticamente sozinho no andar inteiro: era uma noite calma de terça-feira. Jogou fora o copo com o macarrão pela metade e pegou o bisturi.

No dia seguinte estava refogando vários vegetais, com um sorriso no rosto. A esposa chegou e sentiu o cheiro agradável no ar. A cenoura e o repolho crepitavam com o óleo e a cebola já dava sinais de estar quase transparente. Juntou tudo com molho barbecue e derramou sobre o bife mal passado que continha uma pequena casquinha crocante, empanada.

– Amor, o que é essa casquinha crocante? Está ótima! – perguntou a esposa.

– Pele. – respondeu, pensando que não compraria mais carne.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s