Do submundo

09.Night

Em pé no trapiche eu observo o mar, esperando que ela volte de suas profundezas. Já derramei meu próprio sangue, rasguei meus joelhos e para trazê-la, mas me parece que todo os deuses me deram as costas. Menos Ele. Toda noite Ele aparece em meus sonhos e acalenta minha alma fazendo-me senti-la novamente; seu perfume, sua pele macia e a delicadeza de seu toque. O pouco tempo que Ele a traz nunca parece ser suficiente, e, em troca, quer sempre mais.

Suas pequenas criaturas já são alimentadas pelos corpos putrefatos dos órfãos que capturo; as mulheres acorrentadas em meu porão sofrem com a inanição há alguns dias e o cheiro tornou-se quase insuportável. Mas é Seu desejo; Sua demanda. E eu atendo a cada uma delas com presteza fanática.

Hoje eu aqui estou em frente ao lar Dele, meu Pai Eterno:

Eu sou o filho de Sam.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s